Atiradores invadem escola, matam oito e se suicidam

Por Jornalismo Rede Nova - 13/03/2019

Foto: Maiara Barbosa/G1

Segundo informações da Polícia Militar, dois adolescentes armados e encapuzados invadiram a escola e efetuaram os disparos. Até o momento a PM registrou a morte de cinco alunos, um funcionário em decorrência dos disparos, e mais uma pessoa que foi baleada fora da escola, em latrocínio em um comércio, e está passando por cirurgia cirurgia na Santa Casa de Suzano. Os criminosos teriam cometido suicídio no local. Peritos já estão dentro da escola. Imagens da Record mostram projéteis no chão do pátio da escola.

O coronel Salles da PM disse que, antes de entrar na escola, os dois atiradores atiraram contra o proprietário de um lava-jato que fica em frente à escola. Segundo o coronel, os atiradores entraram na escola na hora do intervalo. Primeiro, eles atiraram em uma coordenadora pedagógica e uma supervisora. Depois, se dirigiram ao pátio, onde atingiram em quatro alunos de ensino médio. Em seguida, eles foram até o Centro de Línguas.

Os alunos que estavam no local se esconderam dentro de uma sala de aula. Os atiradores, então, se suicidaram no corredor em frente. O Gate está fazendo uma varredura na escola, porque foram encontrados artefatos com aparência similar a de explosivos. A área, no entorno da escola, está isolada por risco de haver explosivos.

“A preocupação nesse momento é desmantelar os artefatos explosivos, prestar socorro às vítimas e atender as famílias”, disse o coronel Salles.

A professora Sandra Perez disse que por volta das 9h30, quando estavam no intervalo, ouviram os disparos. “Estava na sala de aula, na hora do intervalo. Pensei que fossem bombas, quando eu percebi que eram tiros fiquei lá. Só saí quando os policiais chegaram, 20 minutos depois”, disse Sandra.

” Minha filha tem muitos amigos aqui. Estou chocada. Ela estudou aqui e muitos amigos estão me ligando”, disse Derli Vilas, mãe de ex-aluna da escola.

“Meu amigo levou dois tiros. Tem 17 anos. Eu estou no terceiro ano. Estávamos no intervalo. Ouvi os tiros e vi pessoas correndo. Não se tem mais notícias dele”, disse chorando o aluno Matheus Mariano.

O governador João Doria assim que foi informado do ocorrido, cancelou toda sua agenda e se dirigiu ao local para acompanhar o trabalho de resgate e atendimento aos feridos. Doria pediu apoio psicossocial, psicólogos, alimentação e ambulância no local para todas as vítimas e familiares.

O coronel Salles, comandante-geral da PM, disse à imprensa que, antes de entrar na escola, os atiradores balearam um homem em comércio próximo à escola. Ele passa por cirurgia e está em estado gravíssimo.

Mais cedo, a capitão Cibele, da comunicação da PM, um carro da polícia estava a caminho desse comércio, quando passou perto da escola e ouviu gritos dos alunos. “Policiais estavam indo para esse primeiro chamado e ouviram gritos das crianças. Foram então até a escola, onde os dois criminosos acabaram se matando”, disse ela.

Arsenal

Dentro da escola, a polícia encontrou uma besta (um tipo de arco e flecha que dispara na horizontal), um arco e flecha tradicional e garrafas que aparentam ser coquetéis molotov. Há ainda uma mala com fios. O esquadrão antibombas foi chamado, e a polícia ainda não informou se continha havia material explosivo.