Sem muito destaque na mídia nacional, PM Caroline é enterrada em Chapecó

Por Jornalismo Rede Nova - 31/03/2018

Emoção e homenagens marcam despedida, em Chapecó, da PM assassinada no RN

Estranho os fatos que acontecem no Brasil, há algumas semanas atrás um outro “crime” chocou o país e o mundo, e ficamos nos perguntando… Não que haja juízo de valores, mas porque a diferença no tratamento, já que o primeiro preceito da nossa Constituinte é que “Todos somos iguais perante a Lei”… Mas que neste caso específico não houve a “comoção” e porque não houve uma cobertura (igual) por parte dos meios de comunicação a nível nacional. Para alguns, apenas mais um número para as estatísticas, assim como centenas de outros assassinatos que acontecem, sem sequer serem divulgados ou dados o devido valor.

Apesar dos muitos questionamentos, centenas de pessoas acompanharam o funeral da soldado da PM Caroline Pletsch na manhã desta sexta-feira em Chapecó. A policial foi assassinada na segunda-feira em uma pizzaria em Natal, onde passava férias com o marido, também militar. Após o velório no Centro de Eventos Plinio de Nes, o corpo foi levado em um caminhão dos Bombeiros até o cemitério Jardim do Éden, no bairro Quedas do Palmital. Durante os cinco quilômetros do trajeto, o cortejo foi escoltado por viaturas e batedores em homenagem à colega.

Na chegada ao cemitério, formou-se um corredor composto apenas pelas soldados, que jogaram pétalas sobre o caixão. Houve ainda uma salva de tiros em memória de Caroline. Ao final da cerimônia, já perto do meio-dia, as PMs reuniram-se em círculo para um último tributo: uma delas exaltou a determinação da militar e, em seguida, todas gritaram “hurra!”

Detalhes do crime

Caroline estava jantando com o marido, o sargento Marcos Paulo da Cruz, em uma pizzaria no conjunto Parque das Dunas de Natal. Por volta das 21h dois criminosos invadiram o local e declararam o assalto. Após levarem o dinheiro do caixa, os criminosos roubaram os pertences dos clientes do local e, ao identificarem o casal de policiais, dispararam.

A soldado Carolina foi atingida no peito morreu a caminho do hospital, enquanto o sargento Marcos foi atingido no ombro e encaminhado para atendimento médico. Ele está em estado estável e não corre risco de morrer. A polícia já está investigando o caso e irá tratar a morte da soldado como execução.