Principais destaques de hoje 14 de julho

Por Jornalismo Rede Nova - 14/07/2017

Falta de quórum na Câmara impede leitura do parecer da CCJ

A base aliada do governo não conseguiu manter 51 deputados em Brasília nesta sexta-feira, 14, para fazer a leitura do parecer aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que recomenda a rejeição da denúncia contra o presidente Michel Temer.

Como apenas 24 parlamentares registraram presença na Casa, a sessão não pode ser aberta e essa leitura foi adiada para segunda-feira, 17, último dia antes do recesso parlamentar. A leitura é uma das etapas necessárias antes da votação no plenário, marcada para 2 de agosto. Somente depois de ser lido, o parecer poderá ser publicado no Diário Oficial da Câmara e o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), será notificado para que possa incluir a denúncia na pauta de votação.

“Fazendo essa leitura é o prazo que se tem para intimar, inclusive, o presidente Michel Temer para esse processo estar maduro para ir a Plenário. Então esse rito precisa ser cumprido até para um eventual questionamento”, disse o deputado JHC (PSB-AL), que é terceiro-secretário da Câmara.

plenario-da-camara

Janot vai para os EUA e 2ª denúncia contra Temer deve ficar para agosto

Às vésperas de deixar o comando da Procuradoria-Geral da República, o que ocorrerá em setembro, Rodrigo Janot embarca para os Estados Unidos, no próximo domingo (16), onde participará de painéis em Washington e Nova York.

O procurador ministrará palestras sobre o combate à corrupção mas, de acordo com a coluna Expresso, da revista Época, também se reunirá com autoridades daquele país. Não há, no entanto, informações sobre a pauta do encontro. Com a viagem do procurador-geral, que durará cerca de oito dias, a apresentação de uma segunda denúncia contra o presidente Michel Temer, desta vez por obstrução de Justiça, deve ficar para agosto.

rodrigo-janot-stf-fellipe-sampaio-sco-stf

Presidente do TRF diz que caso de Lula será julgado antes da eleição

O presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, Carlos Thompson Flores, disse nesta quarta-feira (13) que os processos da Lava Jato na corte, incluindo o do ex-presidente Lula, devem ser julgados antes da eleição de 2018.

Os prazos no Tribunal Regional têm importância crucial para a campanha do próximo ano, já que Lula pode ter a candidatura a presidente barrada se a sentença que o condenou no primeira grau for confirmada em uma instância superior. “Aqui é uma especulação minha, acredito que esse processo, ali por agosto, mais tardar em setembro, já está no tribunal. E até agosto do ano que vem, nós temos calendário eleitoral, deve estar julgado ou pautado para julgamento”, disse Thompson Flores, em entrevista à rádio “Bandnews”.

33749764641-57a0ec5f20-k