Policial militar de SC está em vídeo polêmico feito na Rússia

Por Jornalismo Rede Nova - 19/06/2018

A Polícia Militar de Santa Catarina confirmou, na manhã desta terça-feira, a identidade de mais um brasileiro que aparece em vídeo assediando uma jovem, aparentemente russa e que não fala português, durante a Copa do Mundo. É o tenente Eduardo Nunes, que serve em Lages (SC).

torcedores-machistas

Em nota, o comando da PM catarinense diz que “abrirá um processo administrativo-disciplinar para apurar a conduta irregular do militar” tão logo o policial volte da viagem à Rússia.

“A corporação não corrobora com este tipo de atitude, que é incompatível com a profissão e o decoro da classe, previsto no Regulamento Disciplinar e no Estatuto da PMSC, independentemente de estar em período de férias, folga de serviço ou qualquer outra situação de afastamento, devendo, portanto, responder por suas atitudes”, diz o comunicado da polícia.

Na página da corporação no Facebook aparecem mensagens pedindo a punição ao policial.

x..pagespeed.ic.rilpcmjxls

Na segunda-feira, Diego Valença Jatobá, pernambucano do Recife, que foi secretário de Turismo de Ipojuca (PE), município onde está localizada a praia de Porto de Galinhas, foi o primeiro reconhecido no vídeo.

Apesar da manifestação de vários brasileiros na Rússia pedindo a deportação do político e dos outros homens que aparecem no vídeo, as autoridades russas não podem fazer nada diante do caso se a própria jovem não der queixa. Caso ela a faça, eles poderão ser presos e até extraditados.

A Polícia Militar de Santa Catarina divulgou nota a Imprensa: Leia…

Nota à Imprensa Sobre um vídeo gravado na Rússia, em que um grupo de homens brasileiros desrespeita uma cidadã estrangeira, a Polícia Militar de Santa Catarina esclarece que:

1.    Um policial militar foi identificado como um dos integrantes que aparecem no vídeo;

2.    A corporação não corrobora com este tipo de atitude que é incompátivel com a profissão e o decoro da classe,  previsto no regulamemto disciplinar,  independentemente de estar em período de férias, folga de serviço ou qualquer outra situação  de afastamento, devendo portanto, responder  por suas atitudes. 

3.    Assim que se der seu retorno, a  corporação abrirá  um processo administrativo disciplinar para apurar a conduta irregular do militar.       

Quartel do Comando-Geral, 19 de junho de 2018.

JOÃO BATISTA RÉUS – Tenente-coronel PM – Chefe Centro de Comunicação Social